Submarino de Ataque (SSK) - S526 Salvatore Todaro

País: Itália
Construtor: Fincantiere Monfalcone
Ano Lançamento: 2003
Classe: U212A
Deslocamento Standard: 1.450t
Deslocamento Máximo: 1.830t
Comprimento: 55,9m
Largura: 7m
Calado: 6m
Guarnição: 27 homens
Profundidade: 400m
Velocidade Máxima: Submerso: 20nós; Superfície: 12 nós
Propulsão: Gerador AIP - Celulas de combustível
- 1 x Motor a Diesel MTU-16V396 (4242cv/hp)
- 2 x Gerador AIP - Celulas de combustível Siemens Sinavy BZM-34 (120 kW)
- 1 x Motor eléctrico Siemens Permasyn (2.85MW)
Nr. Eixos: 1
Autonomia: 14000Km a 8 nós

Misseis
- IDAS (Defesa Aérea com capacidade de ataque ao solo; Alcance: 20km)
Torpedos
- 6 Tubos 533 mm
- 24 Minas Externas
- 12 Torpedos BlackShark (Alcance: 50km a 50nós)
Sonares
- Atlas Elektronik GmbH DBQS-40 / Pesquisa activa/passiva
- STN Atlas Elektronik MOA 3070 / Detector de Minas
Radares
- Kelvin Hughes KH-1007 (F) (Navegação - Al.med: 37Km)
Outros Sistemas
- Kongsberg MSI-90U (Sistema de gestão de dados combate)
- Sistema de Contramedidas TAU 2000

S181 U-31 (Alemanha)
S526 Salvatore Todaro (Itália)
S182 U-32 (Alemanha)
S183 U-33 (Alemanha)
S527 Scirè (Itália)
S184 U-34 (Alemanha)
S185 U-35 (Alemanha)
S186 U-36 (Alemanha)
S528 (Itália)
S529 (Itália)

Submarino de ataque (SSK) U212O submarino do tipo U-212 é inspirado nos projectos do grupo Thyssen que tiveram origem nos anos 70 e que resultaram em vários modelos distintos, de entre os quais se destacam os submarinos fornecidos à Argentina do tipo TR-1700.
Outra grande modificação no projecto resultou no modelo «Dolphin» de submarinos em utilização pela marinha de Israel.

Finalmente, o projecto da Thyssen, com grandes modificações e já depois da consolidação da industria alemã de construção naval, viu as suas linhas redesenhadas e recebeu um sistema de propulsão independente do ar que utiliza células de combustível.
(Tanto o TR-1700 como o Dolphin são tratados separadamente).

O U-212 mantém no entanto grande parte do layout desenhado nos anos 70, com seis tubos para lançamento de torpedos e uma quantidade muito considerável de espaço interno, que permite aumentar a autonomia do navio.

Os submarinos do tipo 212 e derivados, são os primeiros submarinos operacionais da história a dispor de um sistema de propulsão independente do ar (sem recurso à energia nuclear).
A tentativa de criar esse sistema começou nos anos 70, mas entretanto ficou claro que naquele momento tal sistema ainda não tinha atingido a maturidade. Foi preciso aguardar até ao inicio dos anos 90 para que os testes e experiências com baterias de hidrogénio começassem a resultar.

A marinha da Itália, que procurava um novo submarino e enfrentava nos anos 90 problemas complicados com o seu desenvolvimento, acabou por concordar em adquirir a licença de fabrico para duas unidades do U-212, que foram construídos em estaleiros italianos.


Fontes:
Wikipedia

Sem comentários:

Enviar um comentário