Contratorpedeiro - USS "Spruance" (DD-963)

País Origem: Estados Unidos da América
Construtor: Ingalls Shipbuilding
Ano Lançamento: 1975
Classe: "Spruance"
Deslocamento Standard: 5.770t
Deslocamento Máximo: 8.040t
Comprimento: 171,7 m
Largura: 18,6 m
Calado: 8,8 m
Guarnição: 339 Homens
Propulsão: 4 x Turbina a Gás General Electric LM-2500 (40000cv/hp)
Velocidade Máxima: 30 nós
Autonomia: 11.000 Km a 20 nós

Canhões
- 2 x FMC-United Defense / BAE Systems 127mm L/56 Mk.45 Mod2 (Calibre: 127mm/Alcance: 23Km)
- 2 x Phalanx Mk15 Block 1 (Calibre: 20mm/Alcance: 2.3Km)
Misseis Superfície-Ar
- 1 x Sistema de lançamento Mk.32
- 8 x NATO RIM-7M Seasparrow (Alcance: 15km); ou ESSM - RIM-162C (Alcance: 30km)
- 1 x Rolling Airframe Missile systems
Misseis Superfície-Superfície
- Sistema de lançamento Mk.141
- 1 x 61 células Mk 41 VLS para mísseis Tomahawk
- 61 x BGM-109 Tomahawk ASM/LAM (Alcance: 2.500km)
- 8 x RGM 84D Harpoon (Anti-navio) (Alcance: 120km)
Torpedos
- 2 x 3 lançadores Mk.32
- Torpedos Mk-46 ou Mk-50
Aeronaves Embarcadas
- 2 x Sikorsky SH-60 Seahawk
Radares
- Northrop-Grumman/Westinghouse AN/SPS-40E (Pesquisa aérea - Al.med: 196Km)
- Raytheon Systems AN/SPS-55 (Combinado Aérea/superfície - Al.med: 37Km)
- AN/SPG-60 fire control radar
- AN/SPQ-9 gun fire control radar
- Mk 23 TAS automatic detection and tracking radar
- AN/SPS-65 Missile fire control radar
Sonares
- General Electric AN/SQS-53 / Pesquisa activa/ataque
- AN/SQR-19 TACTAS Sonar Passivo
Guerra Electrónica
- AN/SLQ-32 Electronic Warfare System
- Contramedidas Antí-torpedo AN/SLQ-25 Nixie
- Sistema de Contramedidas Mark 36 SRBOC
- AN/SLQ-49 Inflatable Decoys

(DD 963) USS Spruance
(DD 964) USS Paul F. Foster
(DD 965) USS Kinkaid
(DD 966) USS Hewitt
(DD 967) USS Elliott
(DD 968) USS Arthur W.Radford
(DD 969) USS Peterson
(DD 970) USS Caron
(DD 971) USS David R.Ray
(DD 972) USS Oldendorf
(DD 973) USS John Young
(DD 974) USS Comte de Grasse
(DD 975) USS O'Brian
(DD 976) USS Merrill
(DD 977) USS Briscoe
(DD 978) USS Stump
(DD 979) USS Conolly
(DD 980) USS Moosbrugger
(DD 981) USS John Hancock
(DD 982) USS Nicholson
(DD 983) USS John Rodgers
(DD 984) USS Leftwich
(DD 985) USS Cushing
(DD 986) USS Harry W. Hill
(DD 987) USS O Bannon
(DD 988) USS Thorn
(DD 989) USS Deyo
(DD 990) USS Ingersoll
(DD 991) USS Fife
(DD 992) USS Fletcher
(DD 997) USS Hayler

USS Spruance DD-963Quando lançados em 1975 os ”Spruance” foram vistos como um enorme gasto de dinheiro, estando apenas armados com mísseis Harpoon e torpedos anti-submarino. Os primeiros oito navios nem sequer estavam equipados com sistemas de lançamento de mísseis anti-aéreos “Sea-Sparrow” (que foram instalados apenas a partir do David R.Ray). Inicialmente tinham como objectivo clássico a caça de submarinos. Para isso estavam equipados com o poderoso sonar AN-SQS-53A/B, uma evolução do AN-SQS-26 e o Sistema de lançamento ASROC (8 células) Mk.16 anti-submarino.

Com o inicio da entrada ao serviço dos novos cruzadores e contra-torpedeiros AEGIS, foi necessário que os ”Spruance” fossem modernizados, nomeadamente no que respeitava aos sistemas de armamento. As primeiras modificações foram a inclusão do sistema de lançamento de mísseis anti-aéreos Mk-32 (para mísseis de curto alcance Sea Sparrow). A partir do DD-971 David R.Ray este sistema passou a ser incluído durante a construção.

A partir do DD-974 Comte de Grasse, passaram a ser instalados sistemas de lançamento para mísseis Tomahawk, e com capacidade para o lançamento dos ASROC.
Inicialmente armado com um Sistema de lançamento óctuplo para mísseis “Sea Sparrow“ de defesa aérea nominal, ele recebeu o VLS (Vertical Launch System) Sistema de Lançamento Vertical Mk41 no final dos anos 1980, que substitui o antigo Sistema de lançamento ASROC (8 células) Mk.16, permitindo aos “Spruance” dispararem mísseis Tomahawk, ampliando o leque operacional do navio, possibilitando aos mesmos realizarem ataques terrestres. Durante a Operação “Tempestade no Deserto”, os “Spruance” dispararam 112 mísseis Tomahawk.

Todos os navios foram encomendados ao mesmo estaleiro, com o objectivo de reduzir ao mínimo os custos, mas mesmo assim houve várias acusações de favorecimento.
O facto de os navios mostrarem quase nenhum armamento do exterior, levou a que a opinião pública mais uma vez criticasse o alto custo dos navios.

USS Spruance DD-963Na verdade os principais sistemas dos contra-torpedeiros Spruance estavam ocultos, tendo posteriormente sido modernizados e os sistemas de armas acrescentados
A primeira operação do USS Spruance foi em Outubro de 1979 no Mar Mediterrâneo, com o Grupo de Batalha Saratoga, juntamente com outros navios como o Biddle , Conyngham, Milwaukee, e Mount Baker. Durante esta operação, o Spruance fez uma passagem pelo Mar Negro para a realização de vigilância sobre o novo porta-helicópteros “Moskva”, que navegaram a partir do local da sua construção para a Soviet Red Banner Northern Fleet.

O USS Spruance entrou sua primeira grande revisão em 1980, no Estaleiro Naval Norfolk. Durante um breve período no estaleiro em 1983, ele recebeu o CIWIS e o Sistema de Radares TAS Mk 23.

O Spruance foi mobilizado por um período de seis meses, em Janeiro de 1983 para o Golfo Pérsico onde durante mais de quatro meses e meio realizando observações em conjunto com a fragata USS Oliver Hazard Perry (FFG-7) durante a Guerra Irão-Iraque.

Dois helicópteros LAMPS SH-2F Seasprite eram usados para localizar e atacar contactos detectados pelo sonar de bordo de longo alcance. O Seasprite foi depois substituído pelo SH-60B Sea Hawk (LAMPS III).

O USS Spruance serviu a Frota do Atlântico, atribuído ao "Destroyer Squadron 24" e que operam a partir de NS Mayport, Flórida, sendo retirado do serviço em 23 Março de 2005 e afundado como alvo para as aeronaves que lançaram mísseis anti-navio Harpoon em 8 de Dezembro de 2006.


Fontes:
Wikipedia

Sem comentários:

Enviar um comentário