Carro de Combate - Leopard 2 A6

País Origem:Alemanha
Construtor: Krauss-Maffei Wegmann, MaK
Função: Carro de Combate Pesado
Peso Vazio: 58t
Peso de Combate: 62t
Comprimento: 7.722m
Largura: 3.70m
Altura: 2.48m
Tripulação: 4 Homens
Velocidade Máxima: 72km/h
Velocidade em terreno irregular: 55km/h
Motor: MTU MB-873 12cyl multifuel Potência: 1500 cv
Autonomia: 550Km

Canhões
- 1 x 120mm L/55 (Calibre: 120mm - Alcance estimado de 0.5Km a 6.5Km) "13 Round in Turret 42 Round in chassis"
- 2 x 7.62 mm MG3A1 "4750 rounds"
Blindagem
- 3ª Geração
Sistema de Visão Norturna Passivo (Ch CC, Ap, Cond)

Alemanha, Portugal, Canadá, Grécia, Holanda, Espanha

O Leopard 2 é um tanque principal de batalha alemão construído pela empresa alemã Krauss-Maffei-Wegmann, desenvolvido no início dos anos de 1970 entrou em serviço no ano de 1979, e substitui o anterior Leopard como o principal tanque de batalha na Bundeswehr.

O Leopard 2, é o resultado do cancelamento do projecto MBT-70, em que estavam envolvidos americanos e alemães, com o objectivo de criar um tanque que pudesse substituir o M-60 americano e o Leopard-1 alemão, na altura existentes em grande quantidade na Europa.

Ele é a resposta ao aparecimento dos tanques T-64 e T-72 russos, com canhões de 125mm.

As suas diferentes versões têm servido nas forças armadas da Alemanha e dez outros países europeus, bem como a países não europeus.

O Leopard 2A4, é o mais numeroso de todos os carros de combate da família Leopard. Mais de 3480 Leopard 2 foram fabricados.

Leopard 2A6A versão mais sofisticada actualmente do Leopard 2 é a versão "A6", considerada por muitos como o melhor carro de combate presentemente em serviço no mundo, fruto das lições aprendidas desde a 2ª guerra mundial, onde os temíveis Panzer alemães espalhavam o terror pela Europa com a sua guerra relâmpago. Portugal adquiriu recentemente 37 carros de combate Leopard 2A6, e perspectiva-se que adquira mais num futuro próximo para completar a completa substituição do M60A3 presentemente em serviço.

Embora apenas em numero reduzido - pois os M-60A3 chegavam a uma centena - a capacidade de unidades militares equipadas com os 37 Leopard 2A6 será muito superior. Bastará que se aproveitem correctamente as enormes potencialidades do novo sistema de armas e a sua interligação com os sistemas de comunicações e software de gestão e controlo de dados do campo de batalha produzidos em Portugal. Alguns dos sistemas em desenvolvimento em Portugal, pela sua elevada sofisticação poderão mesmo vir a ser adoptados como standard da NATO num futuro próximo.

Sem comentários:

Enviar um comentário